Contribuição da osteopatia no controle do estresse

Contribuição da osteopatia no controle do estresse
30 de março de 2021 zweiarts

Nosso organismo é diariamente exposto a condições de estresse seja físico, mecânico, químico e/ou psíquico. Como resultado do contato com um agente estressor, o corpo apresenta uma resposta de proteção à integridade que envolve diferentes sistemas: nervoso, endócrino e imunológico, a fim de manter o equilíbrio/ homeostase.

A resposta ao estresse é um mecanismo de extrema importância para a sobrevivência do indivíduo. Existem vários tipos de estresse. Aqueles em que somos expostos de forma rápida nodia a dia, por exemplo, quando temos um prazo para entregar um trabalho. Esse estresse nos torna mais produtivos e focados para realizar essa tarefa. Porém, quando esse estresse ultrapassa um certo limite e se torna crônico, o efeito no organismo começa a ser outro. O indivíduo passa a sofrer com perda de foco, distúrbios do sono, fadiga, irritabilidade, ansiedade, tensão muscular, perda de apetite, lentidão digestiva e outros.

Para compreender melhor esses efeitos, precisamos entender como eles se refletem na fisiologia do organismo. Primeiramente, diante de um estresse, ocorre uma resposta do sistema nervoso autônomo, o aumento da liberação de substâncias como adrenalina   e noraadrenalina, que vão produzir no organismo reações físicas, tais como aumento da frequência cardíaca, dilatação da pupila e aumento da quantidade de sangue para os músculos, deixando o organismo pronto para uma situação de luta ou fuga.

Ao mesmo tempo, o hipotálamo recebe a informação de que algo incomum está acontecendo e libera um fator liberador de corticotrofina (CRF). Esse hormônio atua estimulando a atividade da hipófise, que secreta o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) na corrente sanguínea e sobre a supra renal, induzindo a liberação de cortisol.

Essa cascata de eventos é extremamente importante para a manutenção da sobrevivência. Porém, quando isso ocorre de forma contínua pode acarretar alterações do sistema imunológico e propensão a doenças.

O tratamento osteopático pode contribuir para identificar qual ou quais sistemas estão influenciando para o desequilíbrio do organismo. O uso de técnicas manuais ajuda a liberar tensões no sistema músculo-esquelético, visceral e craniano. Isso promove o relaxamento dos tecidos e permite que o corpo volte para seu estado de equilíbrio.

Também é parte do tratamento osteopático a orientação sobre hábitos saudáveis (alimentação, sono, atividade física, controle de estresse social e no trabalho e outros) e a avaliação da necessidade de um trabalho multidisciplinar, junto a um nutricionista, psicólogo e outros profissionais da área da saúde.

A osteopatia busca trabalhar o organismo com foco na promoção da saúde, evitando olhar apenas para o sintoma.

Silvia Helena Fausto dos Santos
Fisioterapeuta e Osteopata
CREFITO3/144914-F